Camião 

Camiões MAN mostram potência no maior transporte especial em Portugal

Cinco veículos MAN fizeram parte da caravana que realizou o maior transporte especial de sempre no nosso País. Em causa estava o transporte de geradores e turbinas de marca Siemens, desde o porto de Muge até à Central Hidroeléctrica do Pego, em Abrantes. Milhares de pessoas acompanharam a enorme logística deste evento, onde mais de cem profissionais garantiram que os equipamentos chegavam em boas condições, cortando árvores, fechando estradas e alterando pontos de alimentação.

Cinco veículos MAN fizeram parte da caravana que realizou o maior transporte especial de sempre no nosso País. Em causa estava o transporte de geradores e turbinas de marca Siemens, desde o porto de Muge até à Central Hidroeléctrica do Pego, em Abrantes. Milhares de pessoas acompanharam a enorme logística deste evento, onde mais de cem profissionais garantiram que os equipamentos chegavam em boas condições, cortando árvores, fechando estradas e alterando pontos de alimentação.

Na frente da Caravana, um MAN TGX 41.680 8X4 mostrava toda a potência e fiabilidade dos veículos da marca.

Os concelhos de Salvaterra de Magos, Almeirim, Chamusca e Abrantes foram o palco de uma acção de transporte de grandes dimensões, pouco habitual no nosso País. As três unidades de turbinas e geradores que vão fazer parte da nova Central Eléctrica do Pego, no Concelho de Abrantes, propulsionadas a gás natural como combustível para a produção de energia, foram as estrelas desta enorme operação de logística, com o seu transporte a motivar um enorme aparato envolvendo quer os colaboradores da empresa LASO, responsável pela deslocação das peças, quer de técnicos da EDP e da Portugal Telecom, bem como, todo um dispositivo de regularização de transito, com vários cortes de estradas assegurados pelos militares da GNR, de forma a permitir que as estruturas num total de 790 toneladas de peso, pudessem chegar ao seu destino.

As turbinas e geradores adquiridos para serem instaladas na nova Central são da marca Siemens, e desembarcaram no porto de Lisboa, vindas de Roterdão, sendo depois transportadas por barcaças pelo Rio Tejo até ao porto de Muge, onde chegaram no dia 10 de Julho. Nessa altura começou a operação de transporte via terrestre até ao local da construção da nova Central, que envolveu mais de cem funcionários de várias entidades. Os veículos MAN pertencentes à empresa LASO foram imprescindíveis neste transporte que durou 5 noites, com os seus potentes motores e fiabilidade a permitirem uma viagem bem sucedida e sem incidentes.

A abrir a caravana de transporte e a puxar um reboque com 200 toneladas de equipamento, seguia um MAN TGX 41.680 8X4, com tecnologia Euro5. No final da caravana, um outro conjunto era composto por dois MAN TGA 41.660 8x4, um na frente a puxar a carga, e o outro a complementar a força, empurrando o reboque com 280 toneladas de peso. Como elementos de apoio, a caravana possuía ainda outros dois veículos da marca MAN. Um deles equipado com grua, viajava mais à frente do comboio para poder abrir caminho, com os profissionais das várias entidades competentes a removerem postes, árvores e sinaléticas que estavam no caminho das estruturas, cortar estradas e garantir a segurança dos intervenientes e milhares de curiosos que seguiam o percurso. O outro, a fechar o comboio, fazia precisamente o trabalho inverso, repondo os postes, os fios e todas as estruturas desmontadas para a passagem.

Eficiência MAN

Os veículos MAN não poderiam deixar de estar presentes neste transporte especial uma vez que, dadas as suas características, são ideais para o trabalho em questão. Quer para semi-reboques de transporte até 250 toneladas, ou para camiões rígidos com grua, os veículos MAN estão no topo em termos de eficiência de transporte quando comparados com a concorrência. As inovações tecnológicas MAN são a base para o aumento dessa eficiência, com especial destaque para os motores Common-Rail, que permitem obter maior rendimento com menos consumo de combustível. Outra poderosa vantagem é a caixa MAN TipMatic, com WSK que proporciona uma condução mais fácil ao motorista e poupa a cadeia cinemática nestas situações de maior esforço. Os sistemas de assistência à condução inteligentes oferecem ainda mais segurança ao transporte e diminuem o desgaste e o consumo.

Também o conforto dos condutores é tido em conta nos veículos MAN, sendo particularmente útil em transportes que demoram dias para completar, como foi o caso. Nas cabines MAN todos os elementos de controlo são visíveis e fáceis de alcançar. O volante pode ser ajustado em altura e em inclinação e pode ser basculado para uma maior liberdade de movimentos na entrada, saída e ao atravessar a cabina.

Curiosidade popular

O transporte especial, feito com o apoio de maisde cem cintas, cabos e lanças com vários camiões envolvidos, motivou um grande interesse junto de milhares de pessoas. Foi frequente, durante as cinco noites que durou o transporte, assistir a autênticas romarias das populações habitantes nos casais junto das estradas ou dos locais por onde a caravana passava, com famílias inteiras a querer assistir in loco a este evento. Em alguns momentos, como por exemplo no percurso entre Muje e Raposa, a caravana não ultrapassou os dez quilómetros por hora, permitindo à população curiosa o acompanhamento atento do procedimento dos profissionais.

Outra poderosa vantagem é a caixa MAN TipMatic com conversor de binário WSK, que proporciona uma condução mais fácil ao motorista e poupa a cadeia cinemática.

Até mesmo durante a passagem da caravana por Benfica do Ribatejo, e apesar da realização das festas da Freguesia, os populares não deixaram de querer assistir à demonstração de força dos camiões e ao aparato exigido para o transporte de tamanhas e tão imponentes estruturas. Surpreendidos com a logística da operação, muitos populares comentavam que não esperavam ver em Portugal tamanha organização e capacidade, o que era uma surpresa muito positiva e que os deixava cheios de orgulho.

MAN apoia ambiente

Energia mais limpa

A nova central de produção de electricidade do Pego será ecologicamente menos poluente, sendo construída para se juntar à central a carvão já existente. A estrutura tem a sua entrada em funcionamento prevista para 2011 e, quando completa, representará o mais importante Centro de Produção de Electricidade em Portugal.

Antes da obra que agora tem lugar, a empresa responsável pela unidade produtora tinha já investido 170 milhões de euros para transformá-la numa estrutura menos poluente, com produção de dióxido de enxofre nos dois grupos de produção a carvão da Central a reduzir para um valor cerca de 50 por cento inferior ao exigido pela União Europeia para o ano de 2015. Com a construção da extensão da central, de ciclo combinado e a utilizar o gás natural como combustível, vindo de um ramal de ligação ao sistema nacional com quatro quilómetros de extensão, a produção será consideravelmente maior e ainda menos poluente, o que acaba por ir também ao encontro da política da MAN, que fabrica as suas unidades com especial enfoque na poupança de combustível e na baixa emissão de gases poluentes, graças aos seus motores Euro5.

A produção de electricidade a partir de energias mais limpas é actualmente uma das grandes preocupações da política ambiental portuguesa. Segundo dados da Rede Eléctrica Nacional, para onde todas as centrais de produção escoam a sua produção de energia, Portugal está em quinto lugar entre os maiores produtores de energia "verde" da Europa, com 48% da electricidade consumida a ser produzida a partir de fontes renováveis, o que representa um valor bastante acima da meta actualmente definida pelas políticas de Bruxelas, de 39%.

Portugal é actualmente o quinto país europeu que mais electricidade limpa produz, atrás de Suécia, Áustria, Finlândia e Letónia