Camião  |  Autocarro 

MAN aumenta lucros

Dr. Pachta-Reyhofen: “A Europa dá-nos estabilidade desempenhando uma função de porto seguro.”

Visão geral do Grupo MAN em 2014

  • 15,3 mil milhões de euros– entrada de encomendas, menos 5% [2013: €16,2 mil milhões]
  • 14,3 mil milhões de euros– em receitas de vendas, 10% menos
    face ao ano anterior
    [2013: €15,9 mil milhões]
  • 384 milhões de euros – ligeira melhoria dos lucros[2013: €309 milhões]
  • 2,7% – aumento do lucro de vendas[2013: 1.9%]
  • -0,8 mil milhões de euros de fluxo de caixa líquido afectado
    por itens não recorrentes
    [2013: €-390 milhões]

Apesar da situação económica difícil, a MAN conseguiu melhorar os seus lucros em 2014. Este facto deve-se ao aumento significativo da rentabilidade do negócio de motores e máquinas de grande dimensão. A posição forte no negócio de veículos comerciais na Europa também ajudou a reagir à queda do mercado no Brasil ou na Rússia, a título de exemplo.

“Sendo a marca número 2 de veículos comerciais na Europa, o nosso continente proporciona-nos estabilidade e funciona como um porto seguro. Além disso, a área de negócio da Energia contribuiu decisivamente para o desempenho do nosso negócio. Nos últimos anos, temos vindo a seguir deliberadamente a estratégia do crescimento internacional e rentável. As economias emergentes desempenham um papel fundamental neste contexto. Acreditamos no crescimento a longo prazo nestes países. Apesar do alargamento das actividades ao nível global, a Europa será sempre a nossa espinha dorsal. Temos beneficiado deste desenvolvimento: tendo em conta o contexto desfavorável, — particularmente em mercados importantes, como a Rússia e o Brasil — consideramos que os nossos resultados em 2014 foram satisfatórios”,

afirma o Dr. Georg Pachta-Reyhofen, Director Executivo (CEO) da MAN SE.

Tal como seria de esperar, embora o mercado europeu dos veículos comerciais ainda não tenha beneficiado totalmente dos efeitos de alavancagem da norma de emissões Euro 6, a MAN decidiu bem ao defender a sua posição no importante mercado dos veículos comerciais. Mesmo no Brasil, a Empresa manteve a sua liderança no mercado dos camiões pelo décimo segundo ano consecutivo. Neste domínio, tal como na maior parte dos restantes mercados, contudo, a queda das vendas unitárias deu origem a uma concorrência mais cerrada e a menores receitas. A situação na área de negócio da Energia registou um desempenho misto. Na MAN Diesel & Turbo, uma ligeira recuperação do negócio da construção de navios conduziu a um saudável aumento da entrada de encomendas. As encomendas de novos navios — e, consequentemente, a procura de unidades de propulsão e auxiliares — estiveram a um nível elevado e, com maior notoriedade, na primeira metade de 2014. A procura de navios para fins especiais mantém-se elevada. Em contraste, registou-se um abrandamento do crescimento do mercado de soluções para centrais eléctricas. A procura foi igualmente baixa na unidade de negócio estratégica da Turbomaquinaria, essencialmente devido à débil situação do mercado na China, na Índia e no Brasil. Por oposição, os nossos investidores da Renk voltaram a registar um excelente ano fiscal.

O Grupo MAN gerou receitas de vendas de 14,3 mil milhões de euros em 2014, 10% inferiores numa comparação anual. Ambas as áreas de negócio de Veículos Comerciais e Energia apresentaram descidas. A MAN Truck & Bus gerou receitas de vendas de 8,4 mil milhões de euros, menos 9% comparado com o ano anterior, enquanto que a MAN América Latina registou uma queda das receitas de vendas de 24% numa comparação anual, para 2,3 mil milhões de euros. A diminuição na MAN Diesel & Turbo não foi tão significativa, com uma descida das receitas de vendas de 3% para os 3,3 mil milhões de euros. Com 480 milhões de euros, a Renk voltou a registar receitas de vendas equiparadas com o ano anterior.

A entrada de encomendas do Grupo MAN foi de 15,3 mil milhões de euros, menos 5% relativamente ao mesmo período do ano anterior. A entrada de encomendas na área de negócio dos Veículos Comerciais diminuiu 9% para os 11,4 mil milhões de dólares, enquanto que o número dos motores de grande porte, da turbomaquinaria e das transmissões permaneceu, de forma geral, equiparado face ao do ano anterior, nos 3,9 mil milhões de euros.

Em contraste, registou-se uma ligeira melhoria nos lucros, que aumentaram de 309 milhões em 2013 para 384 milhões de euros. Embora o número alcançado no ano anterior, de 25 milhões, na área de negócio da Energia tenha sido afectado pelas provisões consideráveis para um projecto de uma central eléctrica que ainda não se concretizou, registou-se uma melhoria para os 278 milhões de euros em 2014. A MAN Diesel & Turbo contribuiu com 206 milhões de euros, enquanto que a Renk gerou 72 milhões de euros. Situando-se nos 221 milhões de euros, os resultados de exploração na área de negócio dos Veículos Comerciais sofreram uma quebra acentuada nas receitas das vendas. A MAN Truck & Bus obteve resultados de exploração de 152 milhões de euros, enquanto que a MAN América Latina contribuiu com 65 milhões de euros. O lucro de vendas do Grupo MAN aumentou de 1,9% no ano anterior para 2,7% em 2014.

A Comissão Executiva intensificou programas para aumentar a eficiência e reduzir custos em todas as divisões para dar resposta à situação no nosso sector. Designadamente, deliberámos e começámos a implementar medidas para mudar a estrutura de produção no negócio dos autocarros.

“Os custos são foco de atenção particular em tempos financeiramente adversos e estamos agora a beneficiar dessas economias realizadas no passado. Por outro lado, a nossa competitividade já está a ser impulsionada pelas sinergias das Compras decorrentes da nossa qualidade de membro do Grupo Volkswagen”,
sublinha o Dr. Pachta-Reyhofen.

Na área de negócio dos Veículos Comerciais, a Comissão Executiva da MAN SE espera em 2015 um ligeiro aumento das vendas unitárias face ao ano anterior. Os resultados operacionais e o lucro de vendas será ligeiramente abaixo dos números do ano anterior, devido ao efeito da forte concorrência que se continua a fazer sentir. Na área de negócio da Energia, a Comissão Executiva espera que a entrada de encomendas em 2015 seja ligeiramente abaixo do nível do ano anterior. As receitas das vendas deverão ser ligeiramente superiores, comparativamente às do ano anterior. Os resultados operacionais e o lucro proveniente das vendas registarão uma melhoria moderada. Os actuais mercados estáveis (flat) continuarão a sofrer o efeito negativo da forte pressão da concorrência que se continua a verificar em 2015. Como consequência, a Comissão Executiva prevê um aumento do lucro proveniente das receitas de um dígito. O Grupo MAN irá, assim, assistir a valores de receitas das vendas próximos dos do ano anterior e a resultados operacionais estáveis. O lucro proveniente das vendas permanecerá, de forma geral, nos números de 2014.