Camião 

Nova linha de produção para camiões MAN no Brasil

Capacidade para 5.000 camiões das séries MAN TGX e TGS por ano

Na fábrica brasileira da MAN Latin America, em Resende, é hoje inaugurada uma nova linha de produção para os camiões MAN. A séries MAN TGX e TGS já estabelecidas com êxito na Europa irão alargar a gama de camiões MAN de topo da MAN Latin America.

A nova linha de montagem está prevista para uma capacidade anual de 5.000 camiões pesados. Nos próximos meses serão produzidos inicialmente veículos de teste, de modo que os primeiros veículos encomendados possam ser entregues no ano de 2011 a três das maiores empresas de transporte brasileiras: Julio Simões, Arcom e Binotto. Numa primeira fase os camiões MAN brasileiros vão conter unidades importadas da Alemanha e serão montados segundo o princípio SKD (Semi Knocked Down). O objectivo a médio prazo é aumentar a percentagem de produção local para, no mínimo, 60 por cento.

As duas séries de camiões MAN TGX e MAN TGS, lançadas na Europa em 2007 foram votadas "Truck of the Year 2008" por um júri de renome internacional. Isto faz da MAN Nutzfahrzeuge o primeiro fabricante de camiões a vencer esta distinção valiosa pela sétima vez. A MAN está actualmente a lançar o MAN TGX e TGS no mercado brasileiro, iniciando assim um novo capítulo da sua história de sucesso – pela primeira vez no continente sulamericano. A venda dos camiões MAN no Brasil é realizada pela rede de concessionários VW da MAN Latin America.

Até 2011 será construído um parque de fornecedores na proximidade imediata da fábrica de Resende. Deste modo, três parceiros da MAN Latin America nomeadamente a ArvinMeritor (eixos), Maxion (montagem de chassis) e Suspensys (suspensões), vão dispor de locais de produção próprios directamente ao lado da fábrica MAN.

A soma de insvestimento para a linha de produção e o parque de fornecedores será de 235 milhões de reais (cerca de 100 milhões de euros). No total serão criados 800 novos postos de trabalho em Resende, 100 dos quais na nova linha de produção dos camiões MAN. Dr. Georg Pachta-Reyhofen, porta-voz do Conselho Executivo da MAN Nutzfahrzeuge e da MAN SE, olha para os investimentos como mais um passo importante para a internacionalização da empresa: "Tal como as nossas parcerias na China e Índia, a MAN Latin America tem uma importância fundamental para a continuação do nosso crescimento nos mercados BRIC."

Já em Março deste ano foi introduzido um terceiro turno na fábrica de Resende para se conseguir satisfazer a procura de veículos comerciais no Brasil. A capacidade de produção aumentou para 72.000 camiões e chassis de autocarros anuais "Nós olhamos com optimismo para o desenvolvimento económico no Brasil e acreditamos que continuará a haver um crescimento em 2010. Isto é a prova que o nosso páis conseguiu superar os efeitos da crise económica mundial", diz o CEO da MAN Latin America, Roberto Cortes.